Universitário da UEMS foi morto com tiro na cabeça, diz IML

Postado por on Sep 2nd, 2013 and filed under Destaques, Região. You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0. vc pode seguir qualquer resposta para esta entrada através da....

 

 

 

Foi encontrado na manhã desse domingo, 1 de setembro no Rio Moroty, região da Fazenda Alexandria, em Amambai, o corpo do universitário Renato Nunes Pimentel, de 30 anos, que estava desaparecido desde o sábado, dia 24 de agosto.

Segundo a Polícia Civil de Amambai que esteve no local realizando os levantamentos de praxe, o corpo do universitário do curso de história da UEMS, em Amambai, foi encontrado por populares que realizavam buscas pelo rapaz na região.

Ele estava com parte do corpo boiando e outra submerso, com os pés enroscados em uma galhada no fundo do rio, que apesar de largo, é relativamente raso naquela localidade e foi retirado da água por uma equipe do Corpo de Bombeiros de Amambai.

De acordo com a polícia, após ser removido do local, o corpo de Renato Pimentel foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) de Ponta Porã para a realização de exame necroscópico com o objetivo de identificar a causa morte.

Segundo informações repassadas com exclusividade à reportagem do A Gazetanews, durante a autópsia no corpo do rapaz o médico legista encontrou um projétil calibre ainda não identificado alojado na cabeça do rapaz, que, segundo a perícia, teria sido o causador de sua morte.

De acordo com a polícia civil o material será encaminhado para exame de balística na capital do Estado, Campo Grande.

O desaparecimento de Renato Pimentel

Segundo a polícia, Renato Pimentel teria desaparecido quando estaria caçando em companhia de outros três rapazes e um deles, Ademilson Neto Maria, 33 anos, teria atirado contra o universitário.

O bote que o quarteto estava teria virado e Renato teria desaparecido nas águas do Rio Moroty.

Segundo a polícia, o corpo do rapaz foi encontrado boiando a cerca de 300 metros rio abaixo do local onde teria caído na água na noite do sábado.

Dois estão presos

Dos três rapazes que estavam com Renato Pimentel no bote na hora do fato, o acusado de ter atirado contra ele, Ademilson Neto Maria e Wilson Moraes de Carvalho, o “Wilsinho”, de 25 anos, estão presos e o terceiro, Anderson Rodrigues Santos, o “Gordinho”, de 26 anos, é apontado com testemunha no caso.

Ademilson, que estava de posse de uma pistola calibre 9mm foi preso na segunda-feira, dia 26 de agosto na própria Fazenda Alexandria, por posse ilegal de arma de uso restrito e por tentativa de homicídio, já que também teria efetuado disparos contra Gordinho. Já Wilsinho, que estava de posse de um revólver calibre 357, também foi preso e autuado em flagrante por posse ilegal de arma de uso restrito.

Ademilson Neto Maria poderá responder por homicídio doloso

Apesar de negar ter atirado contra Renato Pimentel, contradizendo as afirmações dos outros dois companheiros da caçada, Wilsinho e Gordinho, que, segundo a polícia, foram categóricos em dizer que ele atirou contra o universitário, Ademilson Maria poderá responder a processo e ir a júri popular, também pelo crime de homicídio.

Segundo a Polícia Civil de Amambai, o projétil extraído da cabeça do universitário será encaminhado, juntamente com a arma, para a realização de teste de balística em Campo Grande.

Caso seja confirmado que a “bala” de fato saiu da arma apreendida em poder de Ademilson, além da posse ilegal e da tentativa de homicídio, ele também, será indiciado por homicídio doloso.

O corpo de Renato Pimentel foi sepultado no início da manhã dessa segunda-feira, 2 de setembro, no Cemitério Municipal Santo Antônio, em Amambai.

Matéria atualizada às 9h09 da manhã desta segunda, 2 de setembro

Fonte: A Gazeta News

Leave a Reply


Visitas
Log in /